Regras básicas do sexo unicórnio

  1. Não se envolver sentimentalmente.
  2. Que o único objetivo desta prática seja o prazer sexual.
  3. A terceira pessoa não deve interferir no relacionamento do casal.
  4. As regras devem ser estabelecidas antes que o sexo unicórnio seja praticado pela primeira vez.
  5. O sexo unicórnio só pode ser feito quando os três estão presentes.
  6. Ninguém substitui o outro no campo emocional ou físico.
  7. A relação pode ser encerrada quando desejado e sem dar nenhuma explicação.

E de onde essas regras vieram? Não se pode afirmar que esta é uma ciência exata ou que existe um “inventor”, mas isso é o que explicam na internet aquelas pessoas que já praticaram ou pretendem praticá-lo.

De onde veio o termo “sexo unicórnio”? 

O termo faz referência ao que alguns batizaram como mulheres unicórnios: mulheres bissexuais que estão dispostas a fazer um menage sem inconvenientes, sem se envolver sentimentalmente e sem exigir nada.

Aqueles que as procuravam as “batizaram” com este nome diferente, porque de acordo com eles, é algo muito raro de se encontrar. 

Nossa opinião:

Levar o filho a escola andando não pode ser considerado uma pratica esportiva, pois você não está com a roupa apropriada, sua mente está em outro lugar, etc.... Mas e se seu filho mora a 35km da sua casa. Mas e se esta for a sua única hora que você faz algo fisicamente, pois passou o dia todo sentado? Levar o filho na escola pode não ser o ideal, mas pode ser o começo de algo muito bonito e fantástico. 

Sexo Unicórnio pode não ser e não deveria ser uma prática duradoura mas pode ser o que as 3 pessoas envolvidas dão conta de fazer. 

Desde que nenhum dos envolvidos estejam nesta relação forçados, cada um tem sua trilha a seguir, até chegar em uma relação poliamor onde todos os envolvidos se sintam plenos, valorizados e respeitados.

Fonte

Escrito por

Daniel e Ana

Somos casal, somos sócios, parceiros, cúmplices de nossas aventuras, testemunho vivo de que é possível estar casado por 10 anos e se renovar sempre. Estamos em busca de encontrar nossa identidade dentro da nossa própria história. Acreditamos que compartilhar o pouco que se tem, é a chave para um mundo melhor.